Sequência dos créditos de “primeira classe”

Eu jurava que já tinha colocado aqui. É fan-made: um video mostrando como seriam os créditos de x-men-primeira classe se o filme tivesse sido feito realmente nos anos 60. Ficou muito legal a animação com padrões geométricos formando moléculas de dna e a montagem de fotos da época combinadas com imagens do filme. Além disso, a música é uma versão da trilha de abertura da já clássica animação do começo dos anos  90 que popularizou os personagens 🙂

X-Men: primeira classe

Apesar das primeiras imagens liberadas não serem animadoras, os primeiros trailers já mostravam que o filme de Mattew Vaughn (que também dirigiu Kick Ass e “nem tudo é o que parece”)  seria no minímo interessante. A critica falou muito bem do filme, e em uma delas (não lembro qual, mals aê…) o autor(a) até disse que deu certo porqu deixaram de se preocupar em fazer um bom filme de super-heróis e fizeram apenas um bom filme. Oras, pensando nos filmes que se tornaram grandes sucessos nos ultimos anos, a afirmação quase parece perfeitamente lógica. Já há 11 anos o primeiro X-Men estreiou nos cinemas, e a estratégia de Brian Singer, o diretor dos dois (muito bons) primeiros filmes, foi fazer da sua adaptação, antes de mais nada, uma aventura de ficção-cientifíca, que focava na questão dos poderes mutantes e no preconceito do Homo Sapiens em relação a estes. Elementos inerentes ao “gênero super-heróico”  foram camuflados até mesmo esteticamente, aproveitando a moda “heróis em couro-preto” que Matrix lançou um ano antes.Tudo para deixar mais realista e até mesmo palatável para o espectador que não é necessariamente alguém que goste de super-heróis.

Anos depois, Christopher Nolan pareceu realçar a idéia com o mega-sucesso Batman- o cavaleiro das trevas, ao realizar uma produção que puxava mais para um filme policial, que em alguns momentos quase deixa o protagonista em segundo plano ( parece que se fosse 0 Bruce Willis com apetrechos tecnológicos daria na mesma). Sem dúvida, Brian Singer e Christopher Nolan realizaram grandes filmes, apontando um meio de transportar personagens e universos que funcionam muito bem na linguagem dos quadrinhos mas que são dificeis de traduzir para  a telona. Mas nesse caso, há de se pensar em outra questão: Para quê então adaptar personagens de outra midia que se mantém nelas há anos? Por quê não criar novos personagens, novas situações, que funcionariam já dentro das regras estabelecidas do cinema sem correr o risco de descaracterizar personagens e incorrerem na ira de fãs e no desprezo do público que não conhece esses personagens? Se a idéia foge muito de traduzir o conceito de super-herói das hqs para o cinema, de um meio para outro,tudo ganha contornos “caça-níqueis”: Estúdios que tentam aproveitar marcas existentes nas hqs ao invés de criar novas próprias do cinema. Mas enfim..

X-Men: Primeira classe se vale de uma estratégia parecida, inserir a história em um gênero já existente. No caso, Vaughn trabalha a trama em um primeiro momento como um filme de espionagem, estilo 007. A opção por ambientá-la durante a crise dos mísseis em Cuba que quase levou o mundo à uma guerra nuclear nos anos 60(como dica, assistam o filme “13 dias que abalaram o mundo”)e a estética da época colaboram para isso.

Sobre a trama:

Somos apresentados em 1944 à Erick Lensher(Michael Fassbender-) e Charles Xavier(James McCavoy)ainda crianças. Xavier é pertencente a classe mais rica da sociedade, e descobre seus poderes telepáticos ( também descobre a Mistíca ainda criança roubando comida na sua cozinha). Já Erik é prisioneiro em um campo de concentração nazista,e numa cena particularmente tensa,é torturado por Sebasthian Shawn ( Kevin Bacon, o vilão do filme, canastrão como um bom vilão de James Bond…), que deseja saber mais dos poderes do garoto sobre magnetismo e manipulação de metal.

Em 1962, Erik e Charles já estão adultos. O primeiro caça os nazistas responsáveis pela morte de sua família(especialmente Shawn) mundo à fora, atrás de vingança. Já Xavier está se tornando professor e uma autoridade em genética,mas enquanto isso usa seus incríveis poderes mentais para a-ham… conseguir mulheres.

A Cia descobre os planos de Sebasthian Shawn e seu bando(Emma Frost, Maré Selvagem e Azazel,todos mutantes como Shawn)  e pedem consultoria do especialista Xavier.Após reviravoltas,ele acaba conhecendo Magneto e o encontro culmina na convocação da “primeira classe” do titulo: Banshee, Darwin, Destrutor, Angel e Fera, além da Mística, que já acompanhava Charles. Eles tem por objetivo impedir que Shawn manipule a crise dos misseis em Cuba para deflagrar a terceira Guerra mundial e dominar o mundo com o fim das duas super-potências.

A partir daqui, retomo o assunto do começo do texto.O filme muda nesse ponto, e gradativamente são inseridos elementos mais próximos dos quadrinhos: A forma como os personagens usam seus poderes; os uniformes amarelos remetendo aos dos primeiros x-men; a batalha contra o submarino à bordo do Pássaro Negro; tudo bem empolgante; naquele climão de um bom gibi de super-heróis. Embora nem todos os personagens sejam muito bem desenvolvidos, todos aparecem de forma bem definida, e vale ressaltar que nenhum filme dos x-men tinha mostrado tão bem os personagens trabalhando em equipe(aqui não tem essa de Wolverine e o resto, dando destaque a apenas um personagem). O filme mostra que é possível fazer uma adaptação de super-heróis que transita por outros gêneros do cinema  sem perder as caracaterísticas próprias do gênero original. Claro que há muitas mudanças em relação ao material base (personagens, situações- o “clube do inferno” virou uma mistura de s.p.e.c.t.r.e e prostíbulo, por exemplo), mas a essência está ali. É um filmão de super-heróis com ação e espionagem. Tem poucos pontos fracos, como a personagem Emma Frost, uma das mais bacanas das hqs e que foi interpretada de forma sem graça pela January Jones-mas tudo bem, porque ela é bonita 🙂

Também é bem sucedida a forma como o tema de aceitação é trabalhado. Não só a aceitação dos mutantes pela sociedade, mas também a auto-aceitação; se gostar do jeito que se é, questão que dá espaço aos personagens que são fisicamente diferentes: Mística e Fera(que são os melhores desenvolvidos fora os dois personagens principais)

Mas o ponto forte do filme é mesmo acompanhar o inicio da relação entre Professor X e Magneto.A escolha de McCavoy e Fassbender como protagonistas dificilmente poderia ter sido mais feliz. Dá até pra pensar que se o filme não fosse legal, os dois atores segurariam tudo sozinhos.

Os dois personagens já demonstram as convicções que acompanhamos na trilogia antiga com Patrick Stewart e Ian McKellen nos dois papéis: Charles, apesar de cachorrão(rsrs), é o pacifista bem intencionado,acha que humanos e mutantes podem conviver em paz. Erik não,  acredita que os fins justificam os meios. Os dois travam o eterno debate ideológico. Só que aqui eles estão jovens,inexperientes e até inseguros : o próprio Professor X comete erros que dificilmente cometeria anos depois.

Enfim, procurei nem comentar as incoerências com a trilogia original (encarei como um reboot e dane-se) e as diferenças para os quadrinhos. Preferi falar dos pontos mais legais e por quê o acho bastante relevante como filme de super-heróis. Decididamente quero ver uma “segunda classe”!

Difícil mesmo é sair do cinema concordando racionalmente com o Magneto, mas sabendo que na hora “h” acabaria agindo como o Xavier e me ferrando ^^

posters e comercial de First class

e não é que  X-men first class parece mesmo que vai ser o melhor filme baseado em super-heróis no ano?

esse comercial voltado para a ação ficou muito bom:

também divulgaram posters individuais dos personagens(o que fica estranho é que a linguagem adotada nos cartazes diferem do tom  da produção) mesmo assim:

Magneto

Xavier

Destrutor e seu somzão turbinado

miss-universo 1960

Angel

Mistica

Quem é esse cara???

Azazel(ha!!! esse eu sei, é o pai do noturno!)

Fera– ou então é “O garoto do futuro“(hehe, alguém lembra desse?)

Trailer russo de X-men First Class

O trailer russo para o novo filme dos X-Men tem algums cenas diferentes do primeiro liberado, que você também pode conferir aqui.

Sei lá, apesar de não ter muito a ver com os mutantes dos gibis, estou esperançoso de que vai ser legal- não tem como ser pior que X-men origins: Wolverine, tem?

atualizando:

Os últimos poster oficiais divulgados, com a silhueta de Xavier e magneto e suas cabeçonas no meio não ficaram legais:

Mas esse fan-poster, do usuário thegruffman do deviant art ficou muito bom. A fox devia desencanar das imagens ruins que liberou até agora e usar só esse cartaz

Estréia em 3 de junho.

X-Men First Class-trailer

Bem, dias atrás a Fox liberou imagens de “X-men first class” que deixaram os fãs dos mutantes decepcionados. Desde então, muitos esperavam pelo primeiro trailer da produção. Olha ele aí:

Parece melhor. Não dá para saber muito do filme pelo trailer, mas a caracterização ficou legal (uniformes amarelos!!), e os intérpretes de Xavier e Magneto parecem bem nos papéis que eram de Patrick Stewart e Ian McKellen.Além disso, o período em que a trama está situada, a década de 60, é historicamente bem interessante.

A unica coisa estranha é que a produção parece seguir a cronologia estabelecida pelos 3 filmes anteriores apenas em alguns momentos. Aparecem cenas dos primeiros filmes, mas a mutação do Fera, por exemplo, parece estar em um estágio mais avançado do que estava no terceiro filme. Enfim, parece melhor assistir First Class desconsiderando os 3 filmes anteriores, para evitar as incoerências.

O filme estréia em 3 de Junho.