Marvel e os Titãs.

aranha-titãs

Opa, será que é sério isso? O universo Marvel vai colidir com o do mangá “Ataque de titãs”? Segundo o Twitter do editor C.B Cebulski, da Marvel, é isso mesmo.Este é um crossover no minimo inusitado, e embora eu não goste deste mangá em particular, e sendo verdade ou não,a iniciativa faz a gente pensar:

Quais encontros de quadrinhos do ocidente e do oriente poderiam resultar em histórias divertidas ( Superman X Goku não vale hein!) ?

Talvez um “Homem de Ferro e Fullmetal Alchemist” ? Ou então quem sabe um… “Batman e Death Note” !!!
São muitas opções, e na dúvida, para justificar o encontro, só colocar a culpa no “universo paralelo”! Alegria nerd não precisa de muita explicação 🙂

A liga da justiça de Cliff Chiang.

Dias atrás, apareceram na internet desenhos do quadrinhista Cliff Chiang que reimaginavam a Liga da Justiça como personagens japoneses. Para isso, Chiang mesclou os personagens dos comics com clássicos da cultura pop nipônica. O resultado final ficou bem divertido: Continuar lendo

Samurai X- o filme!

Sim, saiu uma enxurrada de trailers de filmes interessantes nos ultimos dias. mas vi esse aqui e me lembrei da minha coleção de mangás do samurai x (ou Rurouni Kenshin). Foi o único mangá que acompanhei do inicio ao fim , lá atrás, quando ainda era adolescente.  Eu gostava muito dos comentários do Nobuhiro Watsuki, o autor, sobre como ele criou o personagem, o que ele queria com a história, e como via de regra nada saia como ele queria, rs. Continuar lendo

20th Century Boys…

No meio da leva de mangás que a Panini anunciou que vai lançar,vale a pena destacar que finalmente 20th century boys, de Naoki Urasawa, vai sair no Brasil. A história é sobre um grupo de amigos de infância que depois de adultos tem que enfrentar uma ameaça que pode acabar com o mundo. Relacionado a essa ameaça está o lider de uma misteriosa seita, que usa o simbolo de amizade que os protagonistas criaram quando crianças , mas de forma pervertida. Uma ficção cientifica com toques de “conta comigo”, vale a pena esperar sair por aqui-parece que ainda não tem data. Mais sobre Naoki Urasawa aqui.

Naoki Urasawa

Esse post é para falar de um artista que deveria ter mais obras publicadas no Brasil, então já viu que vem em tom de reclamação. Se no Japão ele é reconhecido como um dos maiorais, aqui no Brasil sua hq, Monster(suspense lançada pela Conrad) não foi bem e naufragou em vendas. Mesmo assim, vale muito a pena e torço para que alguma editora se anime a lançar por aqui os mangás citados a seguir:

20th century boys:

Uma mistura de mistério e ficção-científica sobre um grupo de amigos de infância contra o fim do mundo, numa história que vai do fim da década de 60 até o começo do século 21.

Pluto:

Baseado em uma trama de Ozamu Tezuka para AstroBoy, Pluto mostra Gesicht, um robô-policial que investiga uma série de assassinatos de robôs e humanos. Co-escrita por Takashi Nagasaki, já vi gente que compara Pluto com Watchmen (de Alan Moore) em termo de profundidade.

Por ultimo, para mostrar a versatilidade do traço de Urasawa, Billy Bat. A história se passa em 1949, e tem um climão noir:

 Gosto muito dos desenhos do Urasawa, e é um dos melhores roteiristas em atividade atualmente, na minha opinião. Essas obras já passaram da hora de sair aqui.

Ação Magazine- nova revista nacional.

Uma antologia em estilo mangá bastante promissora. Veja os envolvidos e os titulos das histórias:

Rapsódia (Fábio Satoshi Sakuda e Carlos Sneak)

Madenka (Will Walbr)

Jairo (Michele Lys, Renato Csar e Altair Messias)

Arcabuz (Márcio E. Gonçalves e Roberta Pares Massenssini)

Expresso (Alexandre Lancaster)

Legal, esse esquema de publicação estilo “almanaque” tem tudo a ver como a forma como os quadrinhos são publicadas no Brasil desde sempre. Além disso a estética e narrativa do mangá, além de sincronizar com quase qualquer história que um autor queira contar, também ajuda a atrair leitores que já gostam de mangás e animes da televisão. Falando nisso, é interessante que as histórias desenvolvidas para a edição giram em torno de aventuras, fantasia e esportes, assim como as  publicadas em antologias shonen no Japão (“expresso”-parece bem interessante, um steampunk que se passa na época da república da espada, no Brasil).

A revista parece um projeto muito bem orientado, boa sorte aos envolvidos.

vi no universohq

Atualizando: No blog do Alexandre Lancaster,o Maximum Cosmo tem um texto muito bacana sobre o almanaque, além de muitos artigos legais sobre anime/mangá.